O reflexo do jogo online em Portugal no terceiro trimestre de 2017 segundo o SRIJ

by

Não é novidade para ninguém que desde 2015 o SRIJ é a entidade responsável pelo controlo do jogo online do nosso país, emitindo as licenças necessárias à legalização de todos os operadores. Porém, o SRIJ não limita as suas ações apenas a isto e a cada três meses publica no seu portal um relatório detalhado sobre a atividade do jogo online em Portugal. Isto permite seguir de perto a evolução deste mercado e o impacto que tem junto dos apostadores e da sociedade em geral. Além disso, torna-se particularmente interessante analisar este relatório quando um ou mais novos operadores foram licenciados no período em questão, tal como aconteceu desta vez com o Casino Solverde e a Nossa Aposta, que foram lançados durante o mês de setembro.

Nova evolução positiva

A grande conclusão tirada do relatório do trimestre anterior era de que o jogo online estava em decréscimo, algo provado por uma diminuição da receita bruta e menos jogadores registados. No entanto, talvez explicado precisamente pela legalização dos dois novos operadores mencionados, desta vez o jogo online em Portugal voltou a registar uma evolução positiva, com uma subida de 15,6% na receita bruta, algo que não se verificava desde o primeiro trimestre deste ano. Além deste, outro dado que merece ser apontado da análise global do SRIJ é o de que em um ano (entre 1 de outubro de 2016 e 30 de setembro de 2017), o jogo online do nosso país gerou 113,4 milhões de euros de receita bruta.

Para isso ser possível, naturalmente as receitas brutas correspondentes a apostas desportivas e casinos online também aumentaram neste trimestre, com especial destaque para a primeira opção, que apresentou um aumento de 2,3 milhões de euros face ao período anterior. Do mesmo modo, das duas atividades são as apostas que mais dinheiro geram, com um total de 47,7 milhões de euros entre janeiro e setembro de 2017, contra 38,4 milhões dos casinos. No que toca ao número de registos, neste período 82,4 mil novos jogadores criaram conta em um ou mais portais, mais 18 mil que no segundo trimestre, o que também inverte a tendência de decréscimo verificada desde o início do ano. O mês com mais registos foi agosto, com 41 mil.

Receita Bruta TotalReceita Bruta ApostasReceita Bruta CasinosNúmero de Registos

Receita bruta total do jogo online em Portugal

Receita bruta do jogo online em Portugal no 3º trimestre de 2017

Receita bruta relativa a apostas desportivas

Receita bruta das aposstas desportivas online em Portugal no 3º trimestre de 2017

Receita bruta relativa aos jogos de fortuna e azar

Receita bruta dos jogos de casino online em Portugal no 3º trimestre de 2017

Evolução do número de registos em 2017

Evolução do número de registos em 2017

Futebol e slot machines dominam entre os jovens em Portugal

Jogos de casino mais populares no 3º trimestre de 2017À exceção do aumento verificado no volume das receitas, o resto do documento não apresenta grandes alterações em relação ao que se verificou no primeiro semestre do ano. De facto, o futebol continua a dominar facilmente o ramo das apostas desportivas, com a Liga NOS a ser responsável por 10,8% do valor total de apostas efetuadas na modalidade, enquanto os jogadores de casino se deslocam principalmente às slot machines. O ténis e o basquetebol, o póquer não bancado e a roleta francesa continuam a ser a segunda e terceira opções mais populares da sua respetiva secção.

Na mesma medida, a distribuição dos apostadores manteve-se inalterada tanto geográfica como etariamente. O maior número de jogadores continua a registar-se no Porto (21,9%), em Lisboa (19,7%) e em Braga (9,6%) e a faixa etária predominante ainda é a dos 25 aos 34 anos, curiosamente com os mesmos 39,8% do segundo trimestre de 2017. Por último, a 30 de setembro 13,1 mil jogadores encontravam-se autoexcluídos da prática do jogo online, mais 1,6 mil que entre abril e junho deste ano.

O relatório pode ser consultado integralmente no portal do SRIJ.