Estado arrecadou cerca de 48 milhões de euros em impostos no primeiro ano do jogo online

by

O último relatório do Turismo de Portugal sublinha que o Imposto Especial de Jogo Online (IEJO) rendeu ao Estado 47,3 milhões de euros. O mesmo documento indica que a receita total atingiu 108,1 milhões de euros no período entre Maio de 2016 e Junho de 2017, que representa o primeiro ano da regulação do jogo online no nosso país.

O Turismo de Portugal também aponta que os primeiros seis meses deste ano o montante arrecadado através do IEJO sofreu uma quebra em relação ao semestre anterior. Entre Janeiro e Junho de 2017 o valor “ascendeu a 16,3 milhões de euros” enquanto no quarto trimestre de 2016 o montante alcançou 17,2 milhões de euros e no terceiro 13,8 milhões.

Outros dados relevantes indicam que, no total das receitas (108,1 milhões), as apostas desportivas contribuíram com 71,6 milhões enquanto os jogos de fortuna ficaram nos 36,5 milhões. Ao olharmos entre os desportos mais populares, o futebol destaca, sendo o responsável por 75% das apostas, longe do ténis, 14% e do basquetebol, 8,7%. No caso do desporto rei, a Liga NOS, LaLiga e a Premier League são os torneios favoritos do público na hora de apostar, com uma quota de operações de 11,1%, 8,5% e 6,4%, respetivamente.

No que diz respeito ao número de jogadores no nosso país o texto aponta que, até Junho, registaram-se 588 mil pessoas nas distintas entidades licenciadas. Só no primeiro semestre deste ano 176,3 mil pessoas tornaram-se utilizadores nas empresas digitais de jogos. Visto por distritos, o Porto é o que tem a maior quantidade de jogadores registados com 21,5%, seguido de Lisboa com 19,9% e Braga com 9,5%.

O relatório só vem a confirmar as tendências mostradas em documentos anteriores do Turismo de Portugal e as preferências dos jogadores perante jogos como máquinas de fortuna (38,13% das apostas), poker (32,65%) e roletas (20%).