Megaoperação da GNR contra o jogo online ilegal acaba com 31 detidos e 600.000€ apreendidos

by

Está cada vez mais apertado o cerco para aqueles que exploram o jogo online de forma ilegal, e mais uma prova disso é a maior operação da GNR no combate a essa prática. A Operação Shadow Game decorreu entre os dias 6 e 8 de novembro de 2018 após mais de um ano de investigações e terminou com a detenção de 31 pessoas, sete delas em flagrante delito. Há ainda a registar um grande volume de apreensões, onde se destacam 600.000 euros em dinheiro, 86 veículos de gama média/alta, 22 armas de fogo e cerca de 200 munições e ainda três mil telemóveis, computadores, tablets, servidores e outros aparelhos que eram usados para exploração do jogo online. A alegada rede desmantelada pela GNR terá gerado receitas ilícitas de 80 milhões de euros em jogos de fortuna e azar, lotarias e apostas desportivas.

Em comunicado aos órgãos de comunicação social, a força policial revela que cerca de mil militares estiveram envolvidos em 267 buscas domiciliárias e não domiciliárias, além de mais de 150 buscas a veículos em vários pontos do país. No entanto, a operação não se limitou ao território nacional pois graças à participação da Unidade de Cooperação Judiciária da União Europeia e da Europol também foi possível estender a ação até ao Luxemburgo, país onde estavam fixados alguns suspeitos portugueses e onde uma pessoa chegou mesmo a ser detida. Em Portugal estiveram envolvidos elementos do SRIJ, da Autoridade Tributária e Aduaneira e da estrutura de Investigação Criminal da GNR.

De acordo com a Guarda Nacional Republicana, a rede tinha “dimensão transnacional” e operava simultaneamente nos continentes europeu, sul americano e africano, mais precisamente em “Portugal, Bélgica, Brasil, França, Luxemburgo, Moçambique e Suíça”. Isto resultou em que tenham sido constituídas arguidas 93 pessoas singulares de várias nacionalidades além de 14 sociedades comerciais. Em mais detalhe, “constituiu, explorou e expandiu, de forma ilícita, domínios sediados em servidores identificados e software para o desenvolvimento de jogos de fortuna e azar, lotarias e apostas desportivas, com base na disponibilização de hardware”.

Ou seja, a rede criava domínios na internet para jogos de fortuna e apostas desportivas que depois distribuía para restaurantes e cafés em Portugal e no estrangeiro, o que permitia a qualquer pessoa ter acesso aos sites ilícitos. As estimativas da GNR apontam que o esquema tenha gerado receitas na ordem dos 80 milhões de euros.

Os primeiros detidos começaram a ser presentes no Tribunal Judicial da Comarca de Setúbal na passada quarta-feira, dia 7 de novembro, enquanto a Operação Shadow Game ainda estava no terreno. Os indivíduos de nacionalidade portuguesa, brasileira, luxemburguesa e suíça estão indiciados pela prática dos crimines de exploração ilícita de jogos online de fortuna ou azar e de apostas desportivas à cota de base territorial, associação criminosa, fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais.

O Feeling Lucky reforça mais uma vez a importância de jogar online unicamente em portais devidamente licenciados pelo SRIJ, não só por todas as implicações que acrescem da prática do jogo ilegal como pela própria proteção do jogador.