Pular para o conteúdo

Como deixar de jogar

Cartas e fichas na mesa de poker

Num mundo em que o acesso ao jogo online é cada vez mais rápido e simples, aqueles que enfrentam problemas com o abuso dessa actividade podem ter dificuldades em conseguir afastar-se. O primeiro passo é perceber quais os sintomas da dependência e proceder à avaliação do estado de cada um, algo que pode ser feito através de testes disponíveis em portais como o da Santa Casa da Misericórdia ou o do SICAD. Dependendo do diagnóstico, a autoconsciência de que o jogo abusivo pode destruir a sua vida e a de terceiros pode ser forte o suficiente para alguns jogadores resistirem aos impulsos e a deixarem de jogar. Contudo, outros precisam de uma ajuda extra é neste sentido que foram criados os regimes de autoexclusão.

Cada site de jogo tem o seu próprio mecanismo que está geralmente ligado à empresa exploradora e que, logicamente, impedirá o jogador de usufruir apenas desse portal. Porém, perante um caso em que a autoexclusão é obrigatória, o pedido deve ser feito junto do Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ). Esta é a entidade responsável pela aprovação e operação legal de todos os portais de jogo do nosso país e, portanto, permite que os jogadores se autoexcluam de todos eles de uma só vez. O pedido pode ser feito rapidamente através do próprio site e basta fornecer alguns dados pessoais como nome (próprio e de utilizador), idade, número de cartão de cidadão e NIF. O jogador pode escolher a duração do período de exclusão, que pode ir de três meses até tempo indeterminado.

SRIJAlém do jogo online, o site do SRIJ também fornece formulários para autoexclusão de casinos territoriais. O documento deve ser transferido, preenchido com fotografia e enviado para o email do SRIJ. De referir ainda que o portal do SRIJ também conta com uma secção dedicada ao jogo responsável com conselhos e noções básicas para cumprir esta política.

Apesar de ser um método eficaz, a autoexclusão pressupõe que seja o próprio jogador a dar os passos necessários para o seu afastamento, o que nem sempre acontece. Neste caso, o apoio de familiares e amigos é crucial para o diagnóstico e tratamento da dependência de jogo. Para isso, os mais próximos devem estar a par dos sintomas de risco e conhecer as organizações e entidades dedicadas ao tratamento e ajuda profissional ao jogador compulsivo.