Pular para o conteúdo

Ajudar alguém com dependência de jogo

maos ajuda

A melhor solução perante um caso de um jogador abusivo ou patológico é procurar ajuda profissional, mas muitas vezes é crucial que o primeiro apoio surja num contexto familiar. O isolamento social é um dos principais sinais de alarme associados à dependência de jogo e algo a que os familiares e amigos mais próximos devem estar atentos para poderem reagir atempadamente. Caso contrário, os sintomas podem agravar-se e levar a outros problemas, como a privação de sono, perda de peso e sucessivas situações de dívidas, o que só vai tornar o jogador mais propício a entrar em espirais depressivas das quais pode ser complicado recuperar.

É fulcral que os familiares, amigos ou colegas de trabalho saibam reconhecer os sintomas desta dependência e não percam tempo com diagnósticos errados. Por isso, antes de abordar o jogador abusivo com o seu problema é conveniente recolher o máximo de informação possível sobre este transtorno junto de fontes confiáveis. Organizações nacionais e internacionais como o SICAD, a OMS, a Mayo Clinic, entre outros, dispõem de recursos e documentos sobre diversos distúrbios mentais – entre eles o vício do jogo – e que são bastantes úteis. Muitas vezes, o simples preenchimento honesto de um questionário pode ser bastante revelador dos primeiros indícios.

Uma vez confirmados os sintomas deste tipo de dependência, todos aqueles que pretendam ajudar devem convergir os seus esforços para guiar o familiar, amigo ou colega para práticas de jogo responsável e um estilo de vida saudável. A primeira abordagem a um dependente por parte de terceiros deve ser feita de forma subtil mas decisiva, com o objetivo de que este reconheça o seu problema e aceite ajuda profissional.

Se todas estas recomendações forem seguidas e o jogador reconhecer a sua dependência, uma das primeiras acções que ele próprio pode fazer em seu benefício é utilizar as ferramentas de auto exclusão disponibilizados pelos portais. No mínimo, as tentações de mais fácil acesso estarão afastadas, e o jogador pode concentrar-se na procura de organizações especializadas no combate ao jogo abusivo e no contacto com as mesmas.

Seja a participação em reuniões de grupos de apoio, o internamento em centros de reabilitação ou apenas a prescrição da medicação mais adequada, o devido acompanhamento profissional permite que todos os jogadores conheçam o tipo de tratamento necessário de acordo com o seu nível de dependência com diagnósticos corretos, completos e elaborados por especialistas.