Estatísticas do SRIJ sobre o jogo online em Portugal no primeiro trimestre de 2018

by

Por esta altura já é do conhecimento da maioria dos apostadores online que o SRIJ é responsável pela emissão das licenças que legalizam os portais de jogo no nosso país. Mas essa não é a única função da entidade pois a cada trimestre são publicados no site os relatórios correspondentes ao período anterior. Além de darem indicadores sobre o desenvolvimento deste ramo, os relatórios do SRIJ também refletem a realidade nacional e permitem tirar conclusões sobre as duas vertentes que fazem parte do jogo online: apostas desportivas à cota e jogos de fortuna e azar, que são os casinos e póquer. Vejamos alguns dos resultados.


Avanços e recuos nas receitas em relação a 2017

Comparativamente com o período homólogo de 2017, as receitas totais dos jogos e apostas online aumentaram cerca de 2,5 milhões de euros, alcançando assim a marca total dos 33,8 milhões de euros. Isto é facilmente compreendido pela legalização de novos operadores, pois durante o período analisado existiam cinco portais a oferecer apostas desportivas e outros sete dedicados aos casinos online, mais do dobro do que nos primeiros três meses de 2017. Porém, em relação ao quarto trimestre do ano passado a receita bruta reduziu-se em 2,7 milhões de euros, o que significa que este foi o período mais lucrativo. A tributação do IEJO (Imposto Especial do Jogo Online) apresentou resultados semelhantes, tendo vindo a cair desde o segundo semestre de 2017.

Dividindo as receitas pelos seus sectores, curiosamente as apostas desportivas renderam justamente o mesmo valor que em igual período do ano passado (17,4 milhões de euros), quase menos três milhões que no final de 2017. Janeiro foi o mês mais lucrativo dos três. Em sentido inverso estão os casinos online que registaram a maior receita bruta de sempre, com 16,4 milhões de euros, numa média mensal de 5,5 milhões. Tal receita tem vindo a aumentar desde o segundo trimestre do ano passado e superou mesmo o registo de 13,9 milhões de euros do início de 2017.

Receita Bruta TotalReceita Bruta Apostas

Receita bruta total do jogo online em Portugal

SRIJ receitas jogo online 1º trimestre 2018

Receita bruta das apostas desportivas

SRIJ receita bruta apostas 1º trimestre 2018

Em termos de jogadores, até 31 de março de 2018 eram 890 mil os que estavam registados, sendo que o número é um pouco relativo pois um ou mais jogadores podem ter conta em vários portais. Não obstante, mesmo com o lançamento de novas entidades exploradoras foram menos 22,6 mil os novos jogadores em relação a igual período de 2017. A faixa etária e a distribuição geográfica dos jogadores mantiveram-se inalteradas, pelo que continuam a ser maioritariamente os jovens entre os 25 e os 34 anos residentes no Porto, em Lisboa e em Braga a tomar parte no jogo online.

Futebol e slot machines

Portugal é um país de futebol e por isso foi novamente este o desporto que mais receitas gerou, representando três quartos do volume total de apostas desportivas. Por competição, a Liga NOS representou 14,7% do valor total de apostas efetuadas na modalidade, seguida da liga espanhola com 8,6% e da liga inglesa com 5,4%. No que toca às outras modalidades, o basquetebol e o ténis foram a segunda e terceira modalidade com maior volume de apostas, sendo a NBA e os torneios Open de Miami, Open da Austrália e Open de Indian Wells os que contabilizaram mais apostas. Destaque ainda para o hóquei no gelo, que neste trimestre representou 3% do volume de apostas total.

Volume de apostasJogos de casino

Volume de apostas desportivas nos vários desportos

SRIJ desportos 1º trimestre 2018

Volume de apostas em jogos de casino

No que aos casinos online diz respeito, tal como nos períodos anteriores as slot machines mantiveram a sua popularidade e geraram mais de metade (55,73%) do volume total de receitas deste setor. A roleta francesa surge em segundo lugar com 16,10% e o póquer não bancado em terceiro com 14,01%.

Não deixe de consultar o documento na integra para ficar a par de todos os detalhes.